jun 22

Mesmo com abstenção da oposição, Câmara de Macaé aprova PL que fixa diária de veículo apreendido em R$ 1

Cesinha teve emenda rejeitada e outra aprovada. Foto: Tiago Ferreira

Cesinha teve emenda rejeitada e outra aprovada. Foto: Tiago Ferreira

Esta semana, a Câmara Municipal aprovou o Projeto de Lei 008/2017 que autoriza o processo de municipalização do depósito de veículos apreendidos pela Polícia Militar em Macaé. No entanto, apesar de beneficiar diretamente a milhares de pessoas na cidade, a proposta não contou com o voto favorável dos vereadores de oposição. O placar registrou 10 votos pelo PL, 5 abstenções e um contrário.

“Acreditamos que isso é uma grande cortina de fumaça. O município fornece o local, os funcionários, os equipamentos, e o governo do Estado fica com o dinheiro. Isso não é interessante, nem viável para Macaé, o que nos leva a crer que há outras intenções por trás dessa negociação”, justificou Marcel Silvano (PT), líder da bancada de oposição.

Ao texto original, dois vereadores apresentaram emendas: Cesinha (PROS) e o presidente do Legislativo, Dr. Eduardo (PPS). Cesinha teve uma das suas emendas rejeitadas em plenário. Ele sugeria a criação de um fundo para administrar o dinheiro oriundo das apreensões de veículos na cidade. Sua ideia era que dos R$ 22,50 diários a serem pagos por automóvel, R$ 15 fossem destinados ao 32º Batalhão da PM e R$ 7,50 à 123ª Delegacia da Polícia Civil.

Cesinha propôs ainda que os veículos apreendidos em Macaé permaneçam na cidade e não sejam encaminhados para Casimiro de Abreu, como acontece atualmente e foi denunciado aqui no Blog. “A PM possui um convênio com um pátio privado para receber os veículos apreendidos naquele município. Queremos que isso seja feito aqui na cidade, em um depósito público”, disse. A medida também ajudará o macaense a economizar já que são pagos R$ 390 pelo reboque e R$ 88 pela diária no município vizinho.

Dr. Eduardo: emenda reduz para R$ 1 valor das diárias.

Dr. Eduardo: emenda reduz para R$ 1 valor das diárias.

Em contrapartida, Dr. Eduardo propôs emenda – que foi aprovada – estabelecendo em R$ 1 o valor da diária cobrada por veículo apreendido em Macaé. De acordo com o parlamentar, a forma como o projeto foi concebido não beneficiaria os macaenses e, sim, serviria apenas para o Estado arrecadar mais dinheiro. “Não podemos permitir que o macaense seja punido mais uma vez. Também não queremos arrecadar mais dinheiro para esse Governo que desrespeita o funcionário público e o cidadão, que já paga o IPVA mais caro do Brasil”, defendeu.

Aprovado, o texto já emendado segue agora para a sanção do Executivo.

 

 

 

 

jun 21

Câmara pode instalar CPI em Casimiro para investigar caos na Saúde

2017-03-15_15-00-13_CasimiroO Hospital Municipal Ângela Maria Simões, em Casimiro de Abreu, está em estado de calamidade. Registros de óbitos por falta de atendimento e estrutura preocupam a população, que já recorre a municípios vizinhos em busca de socorro. Por conta do cenário de caos, a Câmara pode instaurar uma CPI para investigar a real situação do setor no município. Pelo menos este é o desejo do vereador, Dr. Adriano Lima.

Depois de denunciar a urgência em se tomar as rédeas da administração do hospital, que hoje é controlado pelo IGH (Instituto de Gestão e Humanização), o parlamentar disse esta semana que – diante da omissão do Governo Municipal –  que vai propor a formação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a real situação da saúde no município.

“Faltam profissionais no hospital. Hoje o atendimento é feito por dois médicos e quando um deles sai para atender um chamado externo, sobra apenas um para atender toda a população. Falta equipamentos básicos de saúde, medicação. Problemas que resultam em perdas de cidadãos casimirenses”, disse.

unnamedDe acordo com ele, os problemas da Saúde do município serão encaminhados agora ao Ministério Público. “Vamos encaminhar esses problemas também para o CRM (Conselho Regional de Médicos) e para o COREN (Conselho Regional de Enfermagem). Não estou dizendo que a culpa é do atendimento, não, o que falta é estrutura. O que falta é prioridade. Em nosso município está cada vez mais morrendo gente”, denunciou Dr. Adriano.

A proposta de instalação de uma CPI já conta com a assinatura de outros três vereadores: Ramon Gidalte, Neném da Barbearia e Lelei da Marmoraria.

 

 

jun 21

Panorama Regional – por Daniel Galvão

Nome aos bois

O ex-prefeito de Quissamã, Armando Carneiro, usou sua conta numa rede social esta semana para opinar sobre de quem é a responsabilidade da crise na indústria do petróleo que afeta diretamente a região. De acordo com ele, a interrupção das rodadas de leilões da ANP e a mudança no marco regulatório por motivação ideológica do desastroso governo petista, causaram um “gigantesco prejuízo ao Estado do Rio, aos municípios e ao país como mostra análise do diretor da Agência Nacional de Petróleo”.

 

Guerreira

A ex-vereadora e ex-vice prefeita de Macaé, Marilena Garcia, está no Rio de Janeiro onde, mais uma vez, será submetida a uma etapa da sua incessante luta pela vida. O Blog faz votos sinceros de que dê tudo certo e de uma plena recuperação.

 

Briga boa

Marcel-Foto-Rogerio-Peccioli-8-1024x683Marcel Silvano (PT), líder da oposição na Câmara de Macaé, acusa a bancada governista de “blindar” secretários municipais. Isso porque, o parlamentar não se conforma com o fato de que requerimentos que convocavam o secretário-adjunto de Saúde de Alta e Média Complexidade, Leandro Soares, e o secretário de Infraestrutura, Célio Chapeta, para dar esclarecimentos aos vereadores, tenham sido rejeitados no plenário.

 

Por outro lado…

O líder da bancada do Governo, Márcio Bittencourt (PMDB), tem alfinetado os vereadores de oposição dizendo que alguns deles querem convocar por tudo e por nada secretários ao plenário do Legislativo, mas nunca se deram ao trabalho de fazer visitas, por exemplo, ao HPM.

 

Reaproximação

19399645_10209061333320269_290443859443702587_n-1Com perfis similares e uma disputa política que perdurou alguns anos, Macaé e Rio das Ostras dão sinais de reaproximação. E isso ficou claro esta semana durante a abertura da Feira Brasil Offshore. Os prefeitos, Dr. Aluízio e Carlos Augusto (ambos do PMDB), conversaram muito. De acordo com interlocutores, o chefe do Executivo riostrense é um entusiasta do movimento #BaciaDeCamposÉPrecisoInvestir, liderado pelo colega macaense. Ações conjuntas devem nascer em algumas semanas. A conferir!

 

CPI em Casimiro?

O Hospital Municipal Ângela Maria Simões, em Casimiro de Abreu, está em estado de calamidade. Registros de óbitos por falta de atendimento e estrutura preocupam a população, que já recorre a municípios vizinhos em busca de atendimento. O vereador, Dr. Adriano Lima, que é médico, que vai propor uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a real situação da saúde no município. Será que passa?!

 

 

jun 21 2017

Brasil Offshore: abertura marcada por otimismo

gwfrk22v1d5x-1Em meio à grave crise econômica que assola o país,  a nona edição da Brasil Offshore teve início nesta terça-feira, 20, no Centro de Convenções Roberto Marinho, em Macaé, recheada de discursos otimistas. A tônica foi a retomada do setor de óleo e gás no Brasil.

Além disso, autoridades do setor trataram de dissipar a onda de boatos sobre a desmobilização das atividades da Petrobras no município – há 30 anos considerado Capital do Petróleo no país.

“Na área de logística, estão em operação os seis berços do Porto de Imbetiba e quatro berços contratados no Porto do Açu, em São João da Barra. Atualmente, estásendo realizado o reordenamento das atividades portuárias entre os portos do Rio de Janeiro e de Imbetiba, em Macaé. Essa estratégia não afeta as operações offshore na Bacia de Campos e não significa a interrupção das atividades do Porto de Imbetiba”, explicou o gerente geral da Unidade de Operações da Bacia de Campos (UO-BC) da Petrobras, Marcelo Ferreira Batalha.

Aliás, Batalha afirmou que não haverá interrupção do Porto de Imbetiba em Macaé. “Estamos completando 40 anos da Bacia de Campos esse ano, que é responsável por 64% da produção nacional. É a partir de Macaé que são monitorados remotamente o escoamento, a pressão, a vazão e a temperatura do óleo e gás produzidos diariamente em grande parte das unidades marítimas”, frisou.

A feira acontece até a próxima sexta-feira, 23, com estimativa de receber mais de 53 mil visitantes e movimentar R$ 250 milhões em investimentos. Com as novas regras para o setor de exploração do pré-sal e a agenda de leilões para os próximos três anos, a expectativa é de recuperação do mercado, com a retomada da geração de empregos.

 

Feira da virada

 

Em seu discurso, o prefeito de Macaé, Dr. Aluízio (PMDB), destacou que o evento deste ano marca os 40 anos da Petrobras na Bacia de Campos. “A Petrobras é uma marca que representa todos nós. A feira de 2015 foi a da superação e, a de hoje, marca os avanços do setor do petróleo. Em setembro, teremos os leilões para aquecer a economia petrolífera, que não só representa a retomada de empregos para o setor, mas de toda uma cadeia de serviços”.

Ainda de acordo com o chefe do Executivo, a Estado e a cidade precisam dessa recuperação para sua autoestima. “Temos também uma joia que é Cabiúnas, ícone na geração de óleo e gás. A indústria do petróleo é fundamental para o Brasil e ainda representa 12% do PIB nacional. Essa é a feira da virada, da retomada, da energia e do emprego”, enfatizou Dr. Aluizio.

“É preciso reconhecer a grande relevância da Bacia de Campos para a indústria petrolífera nacional, com oportunidades geradas para o país e o Estado do Rio de Janeiro e que motivaram avanços tecnológicos para a exploração em águas profundas. Nesse sentido, o governo Federal e em especial o Ministério de Minas e Energia, vem tomando medidas para fomentar essa importante região como a recente desobrigação da Petrobras de ser operadora única no pré-sal e a realização da rodada de partilhas, entre outros”, resumiu o secretário adjunto de Minas e Energia, João José de Nora Souto, que representou o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho.

jun 05

Ex-presidente do Fumdec é dono de terras onde o Tepor pretende ser instalado em Macaé

leo 2

Depois da matéria de capa da Revista VIU!, que está nas bancas nesta segunda-feira, 5, e que denuncia um suposto esquema de lobby envolvendo dois vereadores de Macaé, o procurador geral do Município e o dono da Empresa Brasileira de Engenharia e Terraplanagem (EBET), que comprou o projeto do chamado Tepor (Terminal Portuário do Barreto) por R$ 10 milhões, um novo e apimentado ingrediente foi adicionado a este caldeirão.

Fontes do Blog revelaram que outros atores do cenário político macaense podem ter interesses particulares na valorização das terras onde o Tepor pretende ser instalado – caso a chamada Lei do Zoneamento Urbano seja votada e aprovada na Câmara Municipal. O ex-presidente do Fundo Municipal de Desenvolvimento Econômico de Macaé (Fumdec), Leonardo Pessanha da Rocha, que atualmente responde pela Secretaria-Adjunta de Trabalho e Renda, é dono de propriedades no local.

Em outras palavras, a pessoa que respondia diretamente pela pasta do Governo Municipal que tratava da pauta “Tepor” nos últimos anos, seria beneficiada diretamente com a valorização das terras – como explicado pela matéria da VIU!. No mínimo, a situação envolvendo Leonardo deixa claro o conflito de interesses entre público e privado e aumenta a nuvem de incertezas que pairam sobre o assunto.

Ainda nesta segunda-feira, a partir das 18h, uma Audiência Pública vai debater a instalação do Tepor que, segundo a reportagem da VIU!, não tem condições de sair do papel e deverá dar lugar a uma rede de dutos que precisarão passar justamente pela área, a partir de então supervalorizada, atrás de Cabiúnas.

Posts mais antigos «